AMOR, O SENTIMENTO MAIS DOCE

15 de junho de 2017
Amor e chocolate. Um casal perfeito, uma combinação genial.

O amor é um sentimento doce e o chocolate é um doce romântico.

É comum o casal apaixonado presentear a amada (ou o amado) com uma generosa, linda e deliciosa caixa de chocolate em datas comemorativas, de preferência aquelas que envolvem romance.

Suíça, Bélgica, França, Estados Unidos, Brasil… não importa qual a procedência, o chocolate, assim como o amor, é sempre bem-vindo. Entretanto, como possivelmente muitos de nós já sabemos, chocolate demais e amor descompromissado não dá certo.

Apesar de proporcionar uma sensação de bem-estar, de sua crocância e sabor sensacional, se não soubermos controlar nosso desejo de devorar um chocolate depois do outro, isso poderá, em vez de ser agradável e prazeroso, tornar-se um problema.

Da mesma forma, o amor é um sentimento que cura e fere. Quando não é bem intencionado, compreendido e cultivado, ele machuca e até mesmo destrói. Camões escreveu:

Amor é um fogo que arde sem se ver,
É ferida que dói e não se sente,
É um contentamento descontente,
É dor que desatina sem doer.

Nessas breves linhas de seu poema, Camões cunhou apenas o lado dramático do amor. Nós, porém, queremos celebrar o amor em suas muitas nuances. Seu lado doce, romântico, prazeroso, saudável, compromissado, fiel, que preenche e completa, que promove grandes conquistas e é forte o bastante para superar dificuldades, provações, derrotas e dor.

A maior demonstração de amor que podemos destacar partiu de Deus, que em sua determinação de nos amar, apesar de insistirmos em desconsiderar e rejeitar o seu amor com nosso pecado contumaz, enviou seu único Filho para pagar na cruz o preço do nosso pecado em nosso lugar. Jesus Cristo é o nosso maior exemplo e o nosso maior incentivo para cultivarmos, honrarmos e desfrutarmos o amor verdadeiro.

Jaime Kemp

 

Conheça o meu livro: Seu Amor é Melhor que Chocolate, clicando aqui.

Share Button

Related Posts

Quem quer dinheiro?
Tá na hora. E agora?
Distribua a Graça de Deus em seu Lar, sem Economia

Deixe seu Comentário

comentários